Artigos

Psicodiagnóstico: ferramenta de autoconhecimento e desenvolvimento

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no print

Por Fernanda Thones Mende, Psicóloga – CRP 07/13782

O que é o Psicodiagnóstico?

É um processo de avaliação que envolve entrevistas e o uso de técnicas e testes psicológicos, podendo ser um processo pontual ou mesmo dar início ao tratamento psicológico propriamente dito. É uma avaliação com propósitos clínicos, que muitas vezes permite um trabalho com menos tempo e custo.

Porque fazer?

Para investigar características de comportamento, afeto e da cognição (inteligência) do paciente, na organização do seu psiquismo, enquanto funcionamento da personalidade. Procura avaliar forças e fraquezas no funcionamento psicológico, com um foco na existência ou não de psicopatologia. Poderá confirmar ou infirmar um diagnóstico investigado por uma equipe multiprofissional (médicos, pedagogos, fonodiaudiólogos…) e assim dar andamento ao tratamento necessário, bem como poderá ser utilizado como ferramenta de auto-conhecimento de equipes e indivíduos em relação a sua aptidão vocacional, profissional ou até mesmo psicossocial. Além de facilitar a comunicação entre profissionais, contribui também  para o levantamento de dados epidemiológicos de uma comunidade promovendo prevenção. Tal exame visa a identificar problemas precocemente, avaliar riscos, fazer uma estimativa da capacidade para enfrentar situações novas, difíceis, conflitivas ou ansiogências.

Como é feito o Psicodiagnóstico?

O processo psicodiagnóstico constitui-se em média de cinco a oito sessões para entrevistas e aplicação de testes, e uma para a devolução dos resultados, onde são feitas as indicações terapêuticas que possam beneficiar o paciente, e em muitos casos, também a sua família. Após a análise dos resultados, o psicólogo elabora um laudo, que será encaminhado ao profissional solicitante, e caso for interesse deste, o trabalho será realizado conjuntamente com toda a equipe, trazendo as orientações relacionadas ao objetivo desta com o paciente do psicodiagnóstico.

Que testes psicológicos são utilizados?

Escalas, Investários, check- lists, técnicas projetivas entre outras. Como por exemplo, o teste de Rorschach, as Escalas Wechler de Inteligência (WAIS, WISC…), HTP, Teste Gestáltico Viso-Motor de Bender, etc. Todos esses testes somente podem ser aplicados por psicólogos registrados no CRP (Conselho Regional de Psicologia), os quais terão experiência e capacitação necessárias à interpretação dos dados, pois além de experiência e de sensibilidade clínica, devem ter conhecimentos avançados de psicopatologia e de técnicas sofisticadas de diagnóstico.