Artigos

Por que ficamos tristes nas festas de fim de ano?

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no print

Por Ingrid Schonhofen Petracco, Psicóloga – CRP 07/11717

Apesar do hábito de classificar como depressão a tristeza que muitos sentem nessa época, o sentimento não caracteriza uma depressão, que é um quadro patológico, mas sim sentimentos melancólicos ou de tristeza.

Uma série de fatores pode motivar a melancolia de final de ano, desde o estresse pelas sucessivas comemorações, passando pelo apelo comercial das festas, até o desconforto com a solidão em si. Talvez a tristeza que tome conta da maioria das pessoas nas festas de final de ano, não seja nada mais do que a melancolia característica do final de uma etapa, aliado a um julgamento severo de nossas “falhas” – dos nossos projetos não realizados. Nos esquecemos e deixamos de valorizar todas as pequenas conquistas, alegrias e, por que não, tristezas, que nos fizeram repensar a nossa vida e que, muitas vezes, provocaram mudanças significativas.

Este é um período que simboliza encerramento, conclusão e, como todo fim, gera tristezas e, o que provoca essa sensação, é uma mistura de melancolia com frustração, pela revisão do que se passou (ou teria de ter se passado), alegrias e as expectativas sobre o que virá com o ano novo.

Nesse final de ano, avalie o ano que passou, reavalie seus sonhos, suas atitudes e veja o que pode ser mudado, entenda que fracassos são tentativas de acertar e podem ser fonte de aprendizado para o sucesso.

Se os sentimentos persistirem, pode ser que a causa seja outra, aí então pode entrar o trabalho do psicólogo, proporcionando um espaço de escuta e compreensão destes sentimentos.