Artigos

Chegou o Vestibular

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no print

Por Ingrid Schonhofen Petracco, Psicóloga – CRP 07/11717

Junto com a adolescência chega também a hora de fazer uma escolha profissional, escolha esta carregada de questionamentos, incertezas e medos. É bastante difícil eleger uma profissão quando ainda se vivencia conflitos típicos da adolescência e não se tem um autoconhecimento suficiente. O papel da família é muito importante neste momento, são eles que dão suporte e ajuda no que o adolescente necessita. A família precisa respeitar suas escolhas, pois é o adolescente quem decide a carreira que quer seguir, os pais podem e devem auxiliá-lo, mas a escolha final fica a cargo dele.

 E o caminho que se percorre, até a formação profissional, que na esmagadora maioria das vezes se dá na universidade, é invariavelmente com o exame vestibular. O vestibular pode ser visto como uma porta de entrada ao mundo dos adultos, no qual o trabalho ocupa um papel muito importante. Para se conseguir uma aprovação no vestibular há que se estar preparado, tanto nos estudos quanto emocionalmente. Além dos estudos de sala de aula, o adolescente deve aprender a lidar com seus pontos fracos, suas inseguranças e incertezas. Nem tudo que é necessário para ter um bom desempenho é ensinado pelos professores, o controle emocional faz diferença na hora da prova e passa longe dos debates de sala de aula.

Frequentemente vestibulandos chegam para a psicoterapia desmotivados, abalados emocionalmente. Frustrados frente a mais um ano de estudo e ansiosos com a perspectiva de não conseguirem aprovação. O medo de não passar e de decepcionar a família são os principais causadores de ansiedade.

A psicoterapia não vai fazer ninguém passar na prova, mas proporciona um espaço de escuta destas angústias e ansiedades, podendo ser um bom instrumento para tornar este processo menos doloroso, ajudando a desenvolver um auto conhecimento ao longo dos encontros e, quem sabe, chegar à tão desejada aprovação.