Por Carolina Rodrigues Azevedo, Psicóloga – CRP 07/19699

O psicodiagnóstico é uma avaliação psicológica clínica que objetiva, principalmente, conhecer o paciente de modo integral e dinâmico. Compreende-se que tanto os aspectos cognitivos, emocionais e afetivos estão interligados e se influenciam mutuamente em seu funcionamento psíquico. O psicodiagnóstico visa avaliar tanto as dificuldades quanto as potencialidades do indivíduo. Além disso, busca analisar também sua estrutura de personalidade, aspectos do desenvolvimento global, o modo com que lida com seus sentimentos e pensamentos, com o ambiente ao seu redor e como estabelece e mantém seus relacionamentos sociais.
Grande parte dos encaminhamentos atuais para este processo vem das demandas escolares. Porém, porque surgem estas demandas?
Os professores, psicólogos ou outros profissionais da escola podem identificar dificuldades de aprendizagem nos seus alunos e, por meio da avaliação psicológica, procuram investigar se estes sinais e sintomas se originam de questões cognitivas (como a inteligência, atenção, concentração, memória…) e/ou emocionais (como sentimentos que surgem em decorrência de vivências de lutos, separações, eventos traumáticos ou mal elaborados psicologicamente…). Outros casos costumam se apresentar por meio de dificuldades de comportamento, tais como agitação em sala de aula, condutas agressivas, opositoras e outros impasses nas relações com colegas e professores.
O psicodiagnóstico pode ser ainda solicitado por profissionais como pediatras, neurologistas, pedagogos, psicopedagogos, fonoaudiólogos e outros que acompanham os alunos. Por meio desta avaliação eles podem buscar confirmar uma hipótese diagnóstica ou realizar um diagnóstico diferencial para complementar seus tratamentos.
A duração do psicodiagnóstico é limitado no tempo, ficando geralmente na faixa de oito sessões. Ao final deste trabalho, é realizada uma entrevista devolutiva com o paciente e com seus responsáveis, a fim de conversar sobre os resultados da avaliação e futuros encaminhamentos. Posteriormente, sendo acordado com estes últimos, busca-se um contato com a escola a fim de alinhar informações e fornecer orientações para auxílio em seu percurso educacional