Por Fernanda F. da Costa Garcia, Psicóloga – CRP 07/14007

Sofremos de muitas maneiras. O que causa nosso sofrimento? Somos humanos, somos biopsicossociais, ou seja, uma mistura e introjeção de características inatas, de cuidadores e de cultura.

Absorvemos e introjetamos os desejos e expectativas que foram transmitidos a nós por quem nos cuidou e criou e, estamos imersos em uma sociedade que segue regras e ritos. Essa mistura gera em nós demandas internas que fazem que nos deparemos com uma ampla variedade de maneiras de ser e agir, algumas mais adaptadas e mais saudáveis que outras. Aquelas expectativas e desejos impostos, ou muitas vezes a falta deles, faz com que sigamos rumos diferentes e, algumas vezes, com sofrimentos que carregamos e nem bem sabemos porquê ou da onde surgiram. São ansiedades, tristezas e dores. Sim, dores. Muitas vezes colocamos no corpo dores emocionais que não sabemos o que fazer com elas. Somos um só, um corpo e uma mente. Muitas vezes, quando há sofrimento, tentamos separá-los.

A experiência corporal tem inúmeros significados e se mostra diferente para cada um. Somos a imagem que temos de nós mesmos. A dor é sentida e representada de diversas maneiras. O corpo nos leva ao inconsciente, falamos através do corpo enos mostramos através do corpo. Por isso é tão comum nos sentirmos bem, bonitos, leves quando estamos trabalhando bem, conseguindo nos relacionar bem e vivermos nossa vida como esperamos. O contrário também acontece, nos sentimos mal, gordo ou magro, feio, pesado quando as coisas não estão bem, não nos sentimos bem.

A unidade que somos é carregada de diversos eu, imagens e sensações. Não podemos menosprezar nossa dor seja emocional ou física, devemos dar atenção ao que ela nos diz e tentar assim entendermos o que ela nos mostra. Vamos nos cuidar!!