Por Tanise Gralha Mateus, Psicóloga –  CRP 07/10230

A crescente preocupação com a saúde, aumento da expectativa de vida, acesso a informação e a oferta cada vez maior de tratamentos e alternativas tem tornado os cuidados com a saúde um mercado atrativo e lucrativo. São inúmeros os tratamentos oferecidos: procedimentos estéticos, desde cirurgias a processos nada invasivos, cosméticos, massagens, alimentos, vitaminas, compostos naturais. Todos prometendo melhorias na aparência física e qualidade de vida. E, junto com essa promessa, surgem também ofertas para melhorar a autoestima, a saúde emocional, aliviar o estresse, tratar a depressão, ansiedade, pânico, e tantos outros sintomas ou diagnósticos clínicos. Mas qual a diferença entre esses cuidados oferecidos por massagistas, esteticistas ou terapeutas e os tratamentos oferecido por psicólogos ou psiquiatras clínicos?

Começamos pela definição: tratamento requer conhecimento cientifico, estudo aprofundado e reconhecimento técnico. Existem técnicas de massagem que promovem o relaxamento que podem auxiliar a aliviar os sintomas, porém essas técnicas não tratam o problema, a doença em si. Aliviam rapidamente e temporariamente o sintoma. Nada melhor do que sair leve, desestressado e feliz de uma sessão de massoterapia com pedras quentes! Mas, a origem da dificuldade segue atuando, não se altera o funcionamento da personalidade pela massagem e a tendência é que a situação logo se repita.

Vivemos numa sociedade que o imediatismo impera. São as mensagens em tempo real, videoconferências, transmissões on line, remédios que prometem o alivio imediato da dor… Soluções rápidas e superficiais. O antiácido que alivia o desconforto imediato pode também ocultar um refluxo ou uma gastrite crônica, que desgasta as paredes do estomago e intestino pode causar ulceras e câncer. O imediatismo, a busca por soluções rápidas e indolores por vezes trás prejuízos percebidos em longo prazo. Assim também acontece com nosso funcionamento emocional.

E quando devemos buscar um profissional da saúde mental?

Frente a qualquer desconforto emocional, tristeza, dificuldade de tomar decisões, dúvida, dificuldade de relacionamento profissional ou social, medo, insônia, ansiedade, euforia, agitação, abuso de substancias ou álcool, excesso de apetite, perda de peso, e inumeráveis outras situações que interfiram no desempenho das atividades diárias. Muitas dores físicas também podem necessitar a avaliação por um profissional da saúde emocional.

E quais são esses profissionais? Qual a diferença entre eles?

Atualmente as ofertas de terapia estão muito intensas, porem, pouca gente sabe a diferença entre terapia e psicoterapia. Terapia é todo o tratamento que visa amenizar ou acabar com os efeitos de uma doença qualquer. Já psicoterapia é a técnica de uso exclusivo do psicólogo e do psiquiatra, especifica para o tratamento dos problemas de origem emocional, sendo eles físicos ou psicológicos.

É também muito comum a confusão entre os papeis do psicólogo e do psiquiatra. As inúmeras dúvidas vão desde quando procurar um ou outro, até a ideia de que um só ajuda em casos leves e o outro, casos graves. Na realidade, isso tudo gera grandes mal entendidos e até resistência a buscar um profissional. Em primeiro lugar, ambos estão habilitados ao tratamento de doenças leves ou graves. Normalmente situações mais intensas pedem o acompanhamento dos dois profissionais.

O psicólogo é o profissional que fez a faculdade de Psicologia, e tem registro no CRP de sua cidade. A psicologia é a ciência que trata dos estados mentais do comportamento do ser humano e de suas interações com um ambiente físico e social. Estuda o desenvolvimento humano, as inter relações no ambiente familiar, social, profissional e físico, os afetos e sentimentos. Todo psicólogo pode realizar o acompanhamento clinico de pessoas, em consultório ou ambulatório. Utiliza técnicas de entrevista, testagens, exercícios, interpretações, confrontações para tratar sintomas e doenças psicológicas e psiquiátricas. O numero de encontros varia de acordo com a avaliação do psicólogo em parceria com o paciente, habitualmente se recomenda uma ou duas sessões semanais.

A psiquiatria é o ramo da medicina que se ocupa do diagnostico, tratamento e da terapia medicamentosa de pacientes. Também pode atuar em consultório ou ambulatório. Os atendimentos visando medicar e acompanhar a evolução do uso da medicação acontecem normalmente em encontros quinzenais ou mensais.

Tanto os profissionais formados em psicologia quanto os médicos psiquiatras podem realizar a especialização em psicoterapia, que é o estudo aprofundado das varias técnicas de tratamento das doenças e problemas psicológicos e psiquiátricos. Assim, passam a ser chamados de psicoterapeutas. As sessões de psicoterapia normalmente tem duração em torno de 45 minutos e acontecem uma ou mais vezes por semana, de acordo com a indicação de tratamento.

Existem varias linhas de psicoterapia, as mais comuns no Brasil são a Psicanálise, a Técnica Cognitiva Comportamental (TCC) e a Teoria Sistêmica.

A Psicanálise é o campo clinico e de investigação da psique humana, desenvolvido por Sigmund Freud. Ocupa-se em explicar o funcionamento da mente humana, visa o entendimento das reações, condutas, ideias, afetos do sujeito via a interpretação de suas palavras. Trabalha com conceitos como consciente e inconsciente, ego, id, superego. O objetivo desse tratamento é a mudança dos padrões de funcionamento, a reavaliação dos sentimentos, pois o objeto de estudo da psicanálise concentra se entre na relação entre o desejo inconsciente e o comportamento e sentimento vivido. Pela livre associação das palavras e historias o psicanalista consegue analisar e encontrar os motivos de determinadas neuroses ou a explicação de certos comportamentos. A Psicoterapia Psicanalítica é baseada no estudo da teoria e da técnica psicanalítica, aplicadas no atendimento semanal, sem exigir as condições para um tratamento em psicanálise clássica, como o uso de divã. Não há tamanho para o sofrimento do paciente, o que está em foco é aquela história, aquela pessoa. Para o psicoterapeuta psicanalítico, toda situação é exclusiva e tem sua total atenção, independente da opinião pessoal.

A Técnica Cognitiva Comportamental (TCC) se baseia em métodos que visam ensinar técnicas para identificar padrões de pensamentos, regras, hábitos e atitudes que estão na origem dos problemas psicológicos e aprender pensamentos, atitudes, crenças e estratégias mais uteis para incorporar no seu dia a dia e melhorar seu bem estar. Oferecem exercícios para os pacientes recodificarem as atitudes, modificando o comportamento.

A Abordagem Sistêmica é baseada na ideia de que o sujeito é sempre referido por um sistema e a matriz de sua identificação é a família. O processo terapêutico tem o objetivo de intervir de modo intenso e por tempo limitado com o intuito de modificar o padrão de relacionamento intra ou extra familiar, as técnicas são pautadas no aqui e agora, emprega por vezes técnica da TCC ou da psicanálise, assim como algumas técnicas do teatro (psicodrama). Muito comumente utilizada para o atendimento de casais e famílias.

Assistentes sociais, pedagogos, filósofos e outros profissionais da saúde podem estudar algumas das técnicas psicológicas e oferecer atendimento clinico em consultório, porém não podem realizar a psicoterapia, pois essa pratica é exclusiva de psicólogos e psiquiatras. Hoje existem alguns consultórios de psicanálise onde o atendimento é realizado por assistentes sociais, filósofos, pedagogos, fonoaudiólogos, advogados e, até mesmo outros profissionais, embora não haja consenso, não são considerados tratamentos clínicos pela comunidade cientifica.

A decisão entre buscar um psicoterapeuta formado em psicologia ou em medicina é muito pessoal. Ambos estão aptos a avaliar e tratar as dificuldades emocionais. Psicólogos e psiquiatras tendem a trabalhar em parceria, pois normalmente o psiquiatra que medica não atende em psicoterapia seus pacientes os encaminhando para atendimento com um psicólogo. Já o psicólogo psicoterapeuta tem amplas condições de avaliar a necessidade de utilizar alguma medicação psiquiátrica e encaminhar para o psiquiatra de sua confiança avaliar e indicar a medicação adequada.

Na Clinica Equilíbrio a equipe é formada por psicólogos especialistas em psicoterapia, habilitados para o atendimento de crianças, adolescentes, adultos, idosos, casais, famílias e grupos. Seguindo como linha teórica principal a psicanálise. A equipe conta também com psiquiatras, que auxiliam sempre que há necessidade de avaliar o uso de medicação psicotrópica. Tanto psicólogos e psiquiatras atendem particular e convênios.