Por Letícia Schmitz, Psicóloga – CRP 07/18830

Quem procura um tratamento psicoterápico em busca de ajuda para alívio de sofrimento, entendimento de alguma situação, muitas vezes se encontra frente a um psicólogo pela primeira vez na vida. É comum a pessoa não saber por onde começar a explorar as situações, o que contar ao profissional, ficar um pouco perdido neste início. Geralmente, o psicoterapeuta precisa explicar à pessoa que busca a psicoterapia, como se dá este trabalho, baseado em uma teoria e uma técnica, que aqui, neste artigo, abordarei através do olhar da psicanálise.

Costumo mostrar, sempre que possível, que esta é uma tarefa feita em conjunto, através da dupla, um trabalho feito a dois por quem busca por ajuda e quem se dispõe a ajudar e que, se uma das partes não está disposta, ficará gravemente prejudicado. Resistências inconscientes fazem parte deste processo e são esperadas que apareçam, afinal Freud já nos apontava que estes bloqueios irão acontecer.

No entanto, me refiro aqui, ao quanto as pessoas estão em busca por respostas rápidas e soluções mágicas no mundo contemporâneo. É notável que hoje muitos não apresentam certa paciência para investir tempo e se dedicar ao autoconhecimento, ao entendimento de seus conflitos e como melhorar alguns pontos de sua vida. Apenas desejam que seus problemas sejam solucionados o mais brevemente possível, e de preferência, sem muito esforço.

Para que este trabalho de psicoterapia seja satisfatório, é necessário que a pessoa que busca este serviço esteja disposta, motivada a encarar pontos que, até aquele momento, estavam encobertos, estavam sendo negados. Entende-se que para fazer este mergulho para dentro de si mesmo, no qual é visto o trabalho de uma psicoterapia psicanalítica, o desejo de encontrar as suas verdades esteja presente.

Tenho percebido, cada vez mais, que as pessoas esperam que o profissional dê respostas prontas, diga o que fazer em determinadas situações, diga em pouco tempo o que a pessoa tem e como ela pode melhorar. O que está se apresentando são dificuldades em se deparar, de verdade, com o que está acontecendo em suas vidas, pensar a respeito dos motivos que as fizeram buscar um tratamento psicoterápico. Muitas destas respostas estão dentro do paciente, mesmo que ele não saiba. E é justamente aí que entra a importância da psicoterapia e o quanto ela pode ajudar.

No entanto, para que estas respostas sejam encontradas, se faz necessário o auxílio do profissional com este olhar diferenciado, com uma escuta empática, que este caminho à melhora será trilhado. Apesar de a trajetória de descobertas ser realizada em conjunto com profissional, é imprescindível que a pessoa deseje compreender melhor a si mesmo e não apenas busque um entendimento pronto, que pode até auxiliar em um primeiro momento, aplacando ansiedades momentâneas, mas não fará com que os conflitos sejam solucionados de uma forma profunda.

Caso contrário, se ela esperar que o terapeuta fale tudo o que precisa fazer, não estimulando que a pessoa busque recursos internos para se colocar a pensar sobre suas questões, este trabalho não alcançará o objetivo final. Desta forma, a psicoterapia psicanalítica pode ajudar a pessoa a refletir e perceber quais são as melhores soluções reais para seus conflitos. Este trabalho busca por auxiliar o paciente a ter estas condições, não necessitando esperar do outro uma resposta e mais, tendo a capacidade para refletir e avaliar as possibilidades e fazer escolhas mais saudáveis para si.